Avançar para o conteúdo

Géneros literários de não-ficção para escrever um livro

Géneros Literarios de Nao Ficcio.

Decidiu que quer escrever um livro de não-ficção, mas o que se segue?

Embora alguns leitores possam agrupar todos os livros de não-ficção numa única categoria, os autores devem compreender que existem numerosos géneros nos quais a não-ficção está dividida. Os géneros de não-ficção não são de tamanho único e determinar a que área pertence o seu livro é importante quando o apresenta, vende e promove.

Neste artigo mostramos-lhe os diferentes géneros juntamente com exemplos de não-ficção para o ajudar a rotular correctamente o seu livro.

O que é a não-ficção?

Não-ficção é qualquer obra literária baseada em factos, que visa apresentar eventos e informações reais com a maior precisão possível. A ficção, por outro lado, é uma narrativa extraída da imaginação.

Os livros de não-ficção concentram-se no que é real. Embora a não-ficção narrativa seja apresentada como uma história, enquanto que a não-ficção expositiva é mais explicativa, ambas são dedicadas a informar os leitores dos factos.

Estes incluem livros como Becoming by Michelle Obama, How to Win Friends and Influence People by Dale Carnegie, The Diary of Anne Frank by Anne Frank e I Know Why the Caged Bird Sings by Maya Angelou.

Lista de Géneros de Não-Ficção

Cada autor sabe que o esboço antes de escrever estabelece o esboço do seu livro. Mas antes de chegar a esse palco, é necessário identificar o seu público-alvo. Determinar em que género de não-ficção o seu livro melhor se enquadra é fundamental.

Por exemplo, se decidir escrever não ficção histórica, a sua audiência, contagem de palavras e formato serão completamente diferentes de um texto académico. Compreender e seleccionar o melhor género de não-ficção é crucial para o sucesso.

Vejamos os géneros mais populares de não-ficção…

Biografias e autobiografias

Tanto as biografias como as autobiografias concentram-se em contar a história de uma vida, mas os dois géneros são diferentes. As autobiografias são escritas sobre e pelo autor. Biografias são narrativas de terceira pessoa, nas quais o autor conta a história de outra pessoa (embora mantendo-se fiel e objectivo).

Ao contrário das autobiografias, o tema da história pode estar vivo ou morto quando as biografias são escritas.

Uma das mais famosas autobiografias é a de Nelson Mandela “Uma Longa Caminhada para a Liberdade”.

História

A escrita histórica sem ficção envolve a recontagem de um acontecimento histórico específico ou de um período de tempo. Embora os autores possam enquadrar a forma como a informação é apresentada, toda a informação apresentada na história da não-ficção deve ser verificável, factual e historicamente exacta.

Um exemplo de um popular livro histórico de não-ficção é Midnight at Chernobyl, de Adam Higginbotham. O livro apresenta a história do acidente nuclear na central nuclear de Chernobyl, na Ucrânia, em Abril de 1986.

Livros de viagem

A escrita de viagens é um género de não-ficção com vários subgéneros próprios. Travelogues são por vezes chamados memórias de viagem, nas quais o autor fala das suas experiências pessoais. Os guias de viagem são outra forma de não-ficção de viagem, fornecendo informações e revisões de destino.

“Eat, Pray, Love” de Elizabeth Gilbert é uma das memórias de viagem mais conhecidas, com uma adaptação cinematográfica aclamada pela crítica. A Chef’s Travels: In Search of the Perfect Meal de Anthony Bourdain é outro grande exemplo, focando as viagens de Bourdain pelo mundo e as suas experiências culinárias.

Quanto aos guias de viagem, Arthur Frommer, Eugene Fodor e Rick Steves são alguns dos escritores de viagens mais conhecidos.

Filosofia

A não-ficção filosófica inclui a exploração de temas como o propósito da vida, a ética e uma compreensão mais profunda da humanidade. Enquanto os nomes de filósofos tradicionais, tais como Aristóteles, Confúcio, Platão e Voltaire, podem vir à mente primeiro, os escritores modernos estão a mudar a paisagem.

Agora, mais do que nunca, o género filosófico está a tornar-se mais acessível, e os escritores estão a tornar os seus livros mais digeríveis para um público mais vasto.

O filósofo Bertrand Russell escreveu vários livros neste género, com Os Problemas da Filosofia oferecendo uma breve visão geral de algumas das questões filosóficas mais profundas. O que significa tudo isto? Thomas Nagel’s A Very Short Introduction to Philosophy é outra opção acessível aos principiantes.

Memórias

As memórias relatam aos leitores momentos significativos da vida do autor. As memórias são por vezes confundidas com autobiografias, uma vez que ambas são escritas a partir da mesma perspectiva. Contudo, o que diferencia as duas é que as memórias podem ser escritas sobre um período de tempo mais curto, tal como um evento ou experiência específica na vida do escritor.

Exemplos de memórias são The Storyteller de Dave Grohl: Tales of Life and Music e Maggie Nelson’s The Argonauts.

Auto-ajuda e Desenvolvimento Pessoal

O género de auto-ajuda é, surpreendentemente (ou talvez não!), uma das categorias mais populares de não-ficção. Aqui, os autores podem ensinar aos leitores tudo desde novas competências, como gerir as finanças, como manter a felicidade, e até como ser pai ou criar um novo negócio.

Este é um género muito amplo e poderia, por sua vez, ser dividido em muitos subgéneros.

Pai rico, Pai pobre de Robert T. Kiyosaki é um livro clássico de finanças pessoais.

Espiritualidade e religião

Os géneros de religião e espiritualidade são tão amplos como os próprios conceitos. Os autores podem optar por escrever a partir da experiência em primeira mão ou concentrar-se no ensino de uma prática específica. Podem também ser um subgénero, como os livros de auto-ajuda, que ajudam os leitores na sua viagem espiritual.

A teologia, centrada no estudo sistemático de Deus e da religião, também pode enquadrar-se nesta categoria.

Um livro mais vendido nesta categoria é C.S. Lewis’ Mere Christianity, no qual o famoso autor analisa as crenças cristãs e aborda as críticas baseadas na filosofia.

Ciência

A escrita sobre ciência insere-se claramente na categoria de não-ficção, uma vez que se baseia na observação e na evidência (não confundir com ficção científica). Ao escrever sobre ciência da não-ficção, os autores devem incluir referências fiáveis ao longo do texto e assegurar-se de que todos os estudos são minuciosamente verificados.

Estes livros podem ser uma compilação de pesquisa académica complexa, ou podem ser condensados e destilados em obras literárias mais legíveis.

Scott Bembenek’s The Cosmic Machine: The Science That Runs Our Universe and the Story Behind It is a good example of a book that simplifies complex scientific topics for readers. Por outro lado, um livro que tem moldado a literatura científica ao longo dos séculos seria Charles Darwin’s On the Origin of Species.

Arte

O género artístico da escrita sem ficção divide-se em duas categorias: escrever sobre arte real e orientar as pessoas sobre como criar arte.

Por exemplo, uma pessoa interessada em aprender sobre vários artistas e o seu trabalho pode ler Artists: Their Lives and Works by Ross King. Um leitor interessado em desenhar pode considerar Como Desenhar Coisas Fixes: Um Guia de Desenho para Professores e Estudantes de Catherine V Holmes.

Psicologia

Os livros de não-ficção sobre psicologia têm uma vasta gama de propósitos. Alguns são de natureza mais clínica, enquanto outros podem cair na categoria de auto-ajuda. Os autores podem ajudar os leitores a compreender como funciona o cérebro, melhorar o funcionamento da memória ou mesmo ajudar a construir relações.

Um exemplo interessante é The Man Who Mistook His Wife for a Hat and Other Clinical Tales de Oliver Sacks. O livro consiste em vários estudos de caso de pacientes de Sacks que destacam diferentes funções cerebrais.

Medicina

O género médico de escrita de não-ficção inclui livros sobre cuidados de saúde, tecnologia e sistemas de cuidados a pacientes. Os autores podem escrever sobre saúde mental, condições clínicas, bem estar, nutrição e outros tópicos. Os livros médicos podem também ser de natureza instrutiva, destacando a terminologia ou servindo como guias de estudo para profissionais médicos.

A série de Anthony William’s Medical Medium é um excelente exemplo do quanto pode ser coberto neste género.

Artesanato

Os livros de artesanato ensinam os leitores a fazer objectos decorativos à mão. Os livros de artesanato fornecem instruções sobre como executar estes projectos e podem variar de flores de papel a tecido.

Por exemplo, The Unofficial Book of Cricut Crafts: The Ultimate Guide to Your Electric Cutting Machine by Crystal Allen é altamente especializado, enquanto que Low-Mess Crafts for Kids: 72 Projects to Create Your Own Magical Worlds by Debbie Chapman é destinado a um mercado muito mais vasto.

Fotografia

O género da fotografia é um dos mais populares géneros de não-ficção, e é altamente influente. Os livros de fotografia captam momentos da história em tempo real através de colecções fotográficas. Podem também ser livros que ensinam a fotografar.

Jardinagem

A jardinagem é um tema muito popular hoje em dia e dentro deste tema podemos encontrar um grande número de sub-géneros e nichos específicos, uma vez que existem diferentes tipos de jardinagem. Há mesmo livros especializados num único tipo de planta.

Cozinhar e comida

A cozinha é outro género popular de não-ficção. Quer queira escrever receitas, críticas ou guias de restaurantes, há muitas opções com este género.

Basta olhar para a popularidade de programas de televisão como o MasterChef ou o grande número de influenciadores neste sector para descobrir a amplitude deste assunto e quantas oportunidades ele pode oferecer-lhe.

Informática e programação

O género de computação e software é bastante amplo: basta pensar em toda a tecnologia que usamos no dia-a-dia. Estes livros podem ser sobre ferramentas de software específicas, tais como o Microsoft Office, ou sobre linguagens de programação, tais como Java e Python.

Desporto

As vendas de livros sobre saúde e fitness estão a crescer em Janeiro (não surpreendentemente) e incluem tudo, desde programas de formação e guias relacionados com a saúde a conselhos sobre como atingir objectivos específicos de saúde.

Como pode imaginar, há um enorme número de desportos e tópicos a cobrir dentro de cada um, pelo que dentro deste nicho as possibilidades são quase ilimitadas.

Economia e negócios

Cada vez mais pessoas estão a decidir iniciar o seu próprio negócio e é por isso que este nicho de mercado tem crescido tanto nos últimos anos. Desde como iniciar um negócio até como investir em moedas criptográficas, este nicho cobre muitos subgéneros possíveis.

Música

Os livros de não-ficção sobre música podem cobrir muitas áreas diferentes, tais como os estilos musicais actuais ou a história da música. Os livros também podem ser instrutivos por natureza, ou seja, ensinar a tocar um determinado instrumento.

Por outro lado, os livros de partituras são também muito populares.

Paternidade e família

Com milhões de pais em todo o mundo, a parentalidade e a família é um género muito diversificado. Os livros parentais podem ser sobre o ensino de uma nova habilidade às crianças, equilibrando a parentalidade e as relações, a psicologia e a orientação prática.

Animais de estimação

Os animais são para muitas pessoas um membro da família. Os animais de estimação vão para além dos cães e dos gatos. Guias sobre como cuidar de animais de estimação, como treiná-los, como criá-los, etc.

Tal como os outros tópicos mencionados acima, os animais de estimação oferecem uma riqueza de possíveis tópicos que podem ser de interesse para uma vasta audiência.

É especialista numa raça específica de cão ou de gato? Escrever um livro sobre essa raça em particular em vez de um manual geral sobre cães ou gatos.

Escreva sobre o que lhe apaixona

Em suma, escreva sobre o que quer que seja um especialista, porque alguém, algures, irá beneficiar da sua perícia.

Há muitos tipos de não-ficção e estes géneros são apenas a ponta do iceberg; dentro deles há uma variedade de sub-géneros sobre os quais se pode escrever.

Quer queira partilhar o seu amor pela bruxaria com o mundo, quer queira ensinar as pessoas a treinar as suas chamas, desde que classifique o seu livro de não-ficção no género certo e saiba para quem está a escrever, tem uma hipótese de sucesso.